23/05/2007

Ilhéus e a lei de Newton


Segundo Isaac Newton, toda ação corresponde a uma reação igual e em sentido contrario, o que pouca gente sabe ou entende, é que estas reações não se limitam a universo físico, ela se aplica também à vida pessoal e social de todas os homens em qualquer sociedade e em qualquer tempo. A historia é cheia destes exemplos.

Passada a ressaca moral que a cidade viveu, a pergunta que mais se faz ou se ouve no momento é - “Afinal quem botou este homem na prefeitura?”

Como pode uma cidade que esta próxima dos quinhentos anos, se deixar levar por um grupo empresarial ligado ao transporte coletivo se tornar governo?

Os ilheense, não só estão cabisbaixos como também perplexo, afinal, este não é só o pior governo da historia desta cidade (e olha que tem historia), o que existe ai, nem se quer chega a ser um governo, o que Ilhéus vive hoje é a triste realidade de ter uma quadrilha estalada na sede do poder com a única e inequívoca intenção de ser “armar”.

Eleito por trinta mil ilheenses irresponsáveis que, entre outros quatro nomes de cidadãos respeitados e moralmente inatingíveis (Dr. Ruy, Ângela, Soane Nazaré e Magno Lavinig), preferiram votar em um empresário enrolado, imoral e pilantra.

É bom lembrar, que Valderico nunca mentiu (durante a eleição) nem mesmo escondeu suas reais intenções para quando fosse prefeito, (recuperar suas empresas de ônibus) toda Ilhéus, isso mesmo toda a cidade, sabia quem era Valderico, todos sabiam que este senhor nunca respeitou ninguém, nem funcionários de suas empresas, nem meninas pobres da periferia, nem vereadores, aliais, estes há muito tempo que ele já comprava em troca de aumento nas passagens de ônibus. Ele nunca respeitou nem mesmo a própria família. Ou você (ilheense) não sabia disso?

Mas porque ele foi eleito? Porque encontrou trinta mil pessoas (30% do eleitorado da cidade e 12% da população) dispostos a confiar no diabo. Não condeno a parte pobre e marginalizada da população que, enraivecida com o governo desastroso e incompetente de Jabes Ribeiro, resolveu vingar-se do alcaide de plantão, elegendo aquele que ele chamava de inimigo.

Os grandes culpados (palavra feia em ?), são exatamente a parte mais esclarecida e economicamente ativa da comunidade, são aqueles a quem os sociólogos chamam de elite do cacau, um bando de urubus falidos e oportunistas, que moram nos bairros de classe alta da cidade (é claro que existe exceções), derramou em massa seus votos nele, nestes bairros, Valderico ganhou em todas as urnas e ganhou muito bem.

Hoje, é difícil encontrar quem admite que votou nele, são todos santos, os arrependidos vivem se lamentando ou cinicamente cobrando da parte organizada e politizada da sociedade a cassação do prefeito que eles legitimaram.


Tem mais duas personagens que também devem esclarecimentos à população, um juiz que ninguém ouviu mais falar nada, foi capaz de legalizar uma candidatura que nasceu ilegal e terminou imoral. Para quem já esqueceu e tem gente que esquece rápido, a candidatura de Valderico, foi registrada com o vice de um partido que não estava na coligação dele. Pode?
Pior que isso, o vice, que substituiu o irregular, foi registrado na justiça eleitoral a menos de vinte e quatro horas do pleito. Isso mesmo, o atual vice-prefeito de Ilhéus entrou na chapa às oito horas da manha da véspera, o nome dele se quer constava na cédula eletrônica. Mesmo assim achou um juiz para legalizar tudo.

Outro personagem que tem muita responsabilidade na eleição de Val (só para os íntimos, lá ele. Hahaha), é o ex-prefeito, ex-esquerda, ex-carlista, ex-tucano e ex-candidato derrotado nas ultimas eleições, Jabes Ribeiro. O farol da humanidade na versão grapiuna, professor de Deus para os mais chegados, sabia que era odiado por quase oitenta por cento da população em dois mil e quatro; Por isso mesmo, ia para os rádios e dizia que Valderico era seu inimigo, com isso, sabia ele, o eleitor passional e desinformado, massa de manobra em outras tantas eleições, descarregaria sua fúria elegendo o “inimigo”. Estratégia velha de guerra, conhecida como terra arrasada.


A idéia do ex-professor de física na juventude, era simples, Valderico vai destruir Ilhéus, então o resto é com Newton e as leis da física.

A primeira parte da estratégia dele já deu certo, Ilhéus esta destruída.




2 comentários:

Valério Bomfim disse...

Lei este blog diariamente desde que recebí o convite de um amigo, que nem sei quem foi, mas, acho que serei obrigado a deixar de lê-lo, é que ultimamente estou sentindo um cheiro de podre e de imparcialidade nas palavras de quem escreve este blog. Ora dizer que:"Eleito por trinta mil ilheenses irresponsáveis que, entre outros quatro nomes de cidadãos respeitados e moralmente inatingíveis (Dr. Ruy, Ângela, Soane Nazaré e Magno Lavinig)"é no mínimo irresponsabilidade ( mais como cobrar responsabilidade de alguém que se quer assina o que escreve?, pra não não dizer comodismo, pois voto é pessoal, intransferível e secreto, não é porque não votamos em Rui- que sabemos que é seu candidato- que vamos ser achincalhados desta forma, ademais não vejo tanta respeitabilidade moral nesses outros nomes que vocês apresentam não e no final das contas, boa parte das pessoas que votaram em VAL como você chama, foram as ruas na sexta 11 e na quinta 17. EU estava lá.

Debelarina Silveira disse...

Ontem postei um comentário sobre esta cronica, concordando com o texto; mas... achando-a alienigena na cabeça de quem a escreveu. Fui censurado?... Porque?... Este site discrimina opiniões divergentes?

Debelarina Silveira Badaró